este blog está tentando se adaptar ao acordo ortográfico – mas está bem difícil!

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

aqui fora

Caixa Vazia

Pedra tipo a que o chaves e o chapolim usavam

Caminhos desenhados no chão com giz

Espelho inclinado

Eu vou escovar os dentes até sair sangue

Ela tá louca

Eu vou te mostrar

Sangue, muito sangue

Tu tá querendo ser imortal?

Meu amorzinho, é só uma escova

è Só

Caso pluvioso

Mas

Pois

E então!

Não creio em fichinha

Eu tava atravessando a rua no lugar de sempre

Substituindo os pedestres

Ainda não tive tempo de comprar uma bici

Tempo é QUANDO enquanto durmo

Quanto?

Bastante

Tua mão sempre te disse: chiclete não é pasta de dente

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

e para algo completamente novo:

http://www.agoraeuera.com.br/

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

novo endereço

aos amigos, peço que:

vão até http://www.agoraeunaoera.com.br/

e lembrem daqui também.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

“agora eu era: corte 1” no teatro do beco

ogaaanunv_bcqivifs57fgsduahljhgdndj8x54g2m4a5aoyytr2bqq7jtnqbi0-utikqsgza2-sfuhxh-g3hzsffkeam1t1uec64jb0wqscgaczpomsow_peosh

atenção, atenção!

muito importante!

uma peça com texto meu está em cartaz!

o que? “Agora eu era: corte 1”
onde? Porão do Beco (Av. Independência, 936)
quando? Sextas 1, 8 e 15 de maio – 21h (mas pode chegar pra tomar uma cerveja a partir das 20h)
quanto? 12 reais, ingressos no local

O “grupo vai! cia de teatro” surge de uma vontade de investigar temas ligados a opressões sociais através da linguagem teatral. Em 2008, inicia um processo de criação dramática inspirado no método de Augusto Boal, o Teatro do Oprimido, e começa os ensaios de uma peça em que assistimos conflitos de família reveladores de intolerâncias, preconceitos e incompreensões.

“Agora eu era: corte 1” leva ao palco do Beco um vislumbre dos experimentos feitos em busca da construção dos personagens e conflitos desta história, aquilo que está por trás da encenação, seus climas e subtextos. Nesta busca, os atores são também autores e o drama surge de suas imagens.

Agora eu era eu. Agora eu era outro. Agora eu não era. Agora eu era uma peça de teatro. Agora eu era um experimento, um corte: 1.

O “grupo vai! cia de teatro” agora era assim: atores investigando a diferença. Um instantâneo de uma obra em processo.

direção: João Pedro Madureira
assistência de direção: Vinícius Meneguzzi
elenco: Lucas Sampaio, Rafael Régoli, Sofia Ferreira e Vinícius Meneguzzi
texto: Maria Luiza Sá e Madureira e o grupo
iluminação: Mariana Terra
videos: Romy Pocztaruk
pesquisa de trilha sonora: João Pedro Madureira
direção de produção: Laura Leão

grupo vai! http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?origin=is&uid=15418107712491870758

1 comentário

Arquivado em eu, teatro